htpp://www.sidiojunior.com.br

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A Dilma e a Biblioteca Central da Universidade de Brasília (UnB).

O Magnífico Reitor da UnB, Prof. Dr. José Geraldo de Sousa Júnior, é amigo de outro José (o Dirceu). Tenho diversas reservas à postura de ambos: um seguidor de Roberto Lyra Filha (sem a sua grandeza), e o outro "companheiro de armas" de Dilma, a candidata a Presidente (não Presidenta) da República pelo Partido dos Trabalhadores (PT), mormente porque tal partido não se constrange por ameaças legais, concretizando absurdos que vão do mensalão (este causou a cassação do Sr. Zé Dirceu) aos "aloprados" (denominação utilizada por Lula para não se ver envolvido em escândalo que passou pela churrasqueira da sua residência oficial).

A UnB está na maior greve de toda história do Brasil, sem que alunos carentes tenham acesso à sua Biblioteca Central, mas a candidata do PT teve acesso a ela para fazer campanha eleitoral, evidenciando que a UnB é mais um instrumento político para piorar este país (o qual vai muito mal).

A rede mundial de computares resgata o circo e a bolsa família o pão. Um povo analfabeto (veja a última pesquisa do IBGE) não é capaz de perceber a desgraça em que o Brasil persistirá se afundando, pois lhe é dado o circo e o pão.

Aumentamos nossos pobres, reduzindo os miseráveis, porque os brasileiros tem televisão, telefone móvel, geladeira, brinquedos eletrônicos e fogão a gás (mas continuam morando sob pontes, em guetos, invasões de lixões etc.)

VIVA À DILMA! Tal grito, ainda que pareça elogio, é uma piada de muito mau gosto que demonstra o baixo nível intelectual do povo brasileiro, cuja cultura é conduzida pelos meios de comunicação de massa.

Em tal estrutura, caso o objetivo seja a evolução, será inaplicável o pensamento harbermasiano, pois a ação comunicativa parte de um consenso dado pela fé (é espiritual), sendo que não é possível dizer que o povo brasileiro tenha conhecimento teológico (dado pela fé), visto que sua crença é infundada, conduzida por quem detém o poder.

Em uma linguagem luhmanniana, há efetiva alopoiese na construção do sistema jurídico pátrio, eis que conduzido externamente por pequenos (sub)sistemas que integram a sociedade global (o grande sistema).

Somos iludidos, inclusive, pelo Tribunal Superior Eleitoral, o qual prestigia a inconstitucional "lei da ficha limpa" ao declarar "culpado" aquele que renunciou, mas admite como razoável ter o Zé Dirceu como futuro Ministro Chefe da Casa Civil, olvidando-se que este teve seu mandato eletivo cassado.

Enquanto isso, grevistas impedem alunos de terem acesso ao conhecimento, mas a Biblioteca Central da UnB é aberta para campanha eleitoral da "camarada de armas" (do Zé Dirceu).

Nenhum comentário: