htpp://www.sidiojunior.com.br

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Explicando um pouco a Argentina

A Argentina é um país que tem uma parte que se assemelha com o Uruguai e com o Rio Grande do Sul, em relação aos hábitos e a língua. O espanhol tem palavras comuns ao português regional do sul, divergindo da pronunciação espanhola. Porém, tome cuidado com os "falsos amigos", expressão que nos leva à situação do "falso cognato".

O portenho "silva" (assobia) um "x", curiosamente, assemelhando-se ao nosso nortista de Manaus. A "ella" (ll) é uma letra que tem o som de uma mistura forçada de "d" e "j". Assim, "castellano" não será pronunciado como "castelhano", mas como "castedjano" e "amarillo" como "amaridjo". Porém, eles entenderão se falar, respectivamente, "castejano" e "amarijo".

Na Argentina, não se come feijão, cujo nome é "frijol". Porém, as poucas pessoas que o conhecem o chamam de "poroto". Come-se batata, denominada "papas", e carne. Arroz é "arroz" mesmo e pode ser encontrado com certa facilidade.

A parrilhada (churrasco com carnes variadas) é ruim porque reune linguiça de sangue, rins, tripas e outras "cositas" que não são da apetência dos brasileiros em geral. Porém, se come bem quando se pede "lomo" (filé) ou "pescados" (peixes).

É um país quebrado, com uma frota de veículos muito velha, mas de um povo com uma média educacional acima da brasileira. Outrossim, o idioma espanhol é mais pobre (tem menos palavras que o português). Talvez por isso, eles tenham muitas dificuldades para entender os brasileiros. Pedindo para eles falarem "despacio" (devagar), mesmo sem saber espanhol, entender-se-á tudo, mas o mesmo não ocorre. Muitas vezes se falará devagar em português e eles não entenderão nada.

Nenhum comentário: