htpp://www.sidio.pro.br

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Pornografia no Congresso Nacional.

Há muitos anos que digo que o Congresso Nacional tem várias prostitutas vagando ali como supostas assessoras parlamentares.
Hoje vi uma chamada no UOL com o seguinte título: "No Congresso: vídeo de sexo de assessora parlamentar agita CPI do Cachoeira" (disponível em: http://f5.folha.uol.com.br/humanos/1122177-video-de-sexo-de-assessora-parlamentar-agita-cpi-do-cachoeira.shtml), a qual me fez lembrar do que sempre afirmo.
Pesquisando, vi que o Deputado Federal Romário (ex-jogador de futebol) já transitou com a assessora parlamentar que está na moda. Segue a direção eletrônica em que se pode ver um vídeo pornográfico com a referida pessoa, mas informo que a visualização deve ser feita apenas por maiores de 18 anos de idade e por quem gosta de pornografia: http://superlinks.blogspot.com.br/p/video-intimo-da-assessora-parlamentar.html
Já atuei em um caso criminal que envolvia uma amante de um lobista do Estado da Paraíba e um ex-proprietário do Restaurante Arabesque. Este dizia ter quebrado devido às despesas para manutenção dela e, com uma faca, escreveu na pintura do carro dela, um GM/Corsa de cor azul: PUTA.
O fato é que o vídeo é um indício de que eu estava correto nas minhas afirmações e que casos como o que atuei não são isolados, sendo a CPI do Cachoeira apenas mais uma baixaria do Congresso Nacional.
Platão tinha interesse em entrar na política em uma Grécia decadente em que os grandes mercadores se afastavam da política, mandando emissários – bons oradores e pessoas populares para a tribuna para representá-los – e assim mantinham seus tempos para atividades mais lucrativas, sem perderem a oportunidade de conduzirem a política.
O exposto indica que o Brasil parece exatamente isso: um país decadente com péssimos políticos para manterem os interesses de contraventores, sonegadores de tributos etc. Enquanto isso, o Congresso Nacional abriga cenas de pornografia, as quais, antes de estarem na rede mundial de computadores, segundo a imprensa, circulavam em discos removíveis dentro do Congresso.

Um comentário:

UM FIASCO CHAMADO PDV disse...

Sem a menor sombra de dúvida professor, salvo poucos nomes, é nojento o descaro dos grupelhos tornados parlamentares e seus múltiplos escândalos. Não deixa de indignar o fato da cegueira, da pasmaceira de nossa sociedade que parece não saber, não entender que está sendo cada dia mais desrespeitada, subestimada, ultrajados os seus princípios. O que o parlamento destas últimas décadas fizeram da Política? e dos Poderes de nossas democracias? Bem parece - como bem observado por voce professor - com a decadente Roma sodomista. Entre tarados, adúlteros, pedofilos, pederastras, há de tudo e à gosto, acompanhantes, amantes e "as de luxo"! E a família, onde fica? O que diz?

Haja falta de respeito e compostura em nossos representantes mas, conhecendo a militância populista com seus simpatizantes politicamente corretos de nossos dias, longe vai a noção que deveríamos ter da moralidade. Eu tinha tentado fazer uma crítica à `reação de algumas opiniões anônimas ou de grupos que discutem a questão da Mulher que vem se manifestando pela Rede. Estes, defendendo a atitude da dita assessora parlamentar mostram-se a favor daquelas que ousam mostrar suas nudezas ou suas performances em cenas (que poderiam ser íntimas) de sexo, pornográfica ou artística (sic?), mas, como li muita bobagem, tais como "a mulher tem direito a fazer o quer de seu corpo", desisti, porque me parece endossar a idéia machista de que mulher é um objeto a ser exibido e não um ser pensante, capaz e digno de respeito. Vejo que em nome da luta por igualdade de condições e direitos, confundiu-se inclusive, liberdades com libertinagem.

De fato, em tudo se parece o congresso populista com as elites da antiguidade. É decadente e libertina. Não haverá afrescos ou mosaicos, fontes históricas dos bacanais daqueles idos remotíssimos, hoje relicários conservados em prédios públicos, mas, providenciados estão os vídeos, os flashes e farto material registrado por toda forma de mídia da atualidade. Espetáculo chã da politicália populista a entreter os cidadãos, afinal são muitos os delitos, por vezes, orgias desde a Tribuna ao Parlatório em esforço contínuo de entrenter seu povo, ante aos seus maus desempenhos enquanto homens públicos. Pani et circus, nada mais atual!

Marta Ribeiro,
graduanda - direito