htpp://www.sidiojunior.com.br

domingo, 3 de julho de 2011

Lula professor "honoris causa": absurdo inadmissível.

Recebi uma mensagem decorrente de uma "corrente" rede mundial de computadores, que resolvi compartilhar com todos. Segue a sua íntegra:

Lula será Professor Honoris Causa da UFPB.
Por Sônia Maria van Dijck Lima Lula será Professor Honoris Causa da UFPB - 10/05/2011

Estou mesmo revoltada com a notícia abaixo. 
O sujeito envaidece-se por nunca ter lido um livro; arrogante, lembrou várias vezes que não é preciso ter diploma universitário para ser Presidente da República; sob seu governo, os professores universitários tiveram ridículos reajustes salariais (conseguidos sempre graças a longas greves) e, hoje, são uma classe de profissionais qualificados de baixa remuneração.

E o Magnífico Reitor da UFPB, em troca de algumas verbas - que, diga-se de passagem, são obrigação do governo federal para manutenção, ampliação e aperfeiçoamento das universidades federais - considera que um sujeito que atropela a Língua Portuguesa, que dá péssimo exemplo como incentivo à leitura, cujo governo institucionalizou a corrupção, levando-o a defender, em inúmeras ocasiões, todos aqueles que foram/ são acusados ou suspeitos de corrupção, sugerindo às novas gerações que ser corrupto é bome torna a pessoa ilustre e bem relacionada com o governo, merece o título de Doutor "Honoris Causa".

O Magnífico Reitor, em troca de algumas verbas, perdeu o senso crítico; esqueceu que foi escolhido para gerir e representar a comunidade acadêmica, que sempre o honrou e o respeitou, e que merece ser honrada e respeitada pelo seu Reitor.

Sem senso crítico, o Reitor e mais todos os outros conselheiros que foram e são favoráveis à tal homenagem dão prova cabal de servilismo ao partido que está no poder, de bajulação e de pouco zelo pela titulação acadêmica.

Dizem às novas gerações que os diplomas universitários não têm valor e nem importância; o que importa é conseguir ser militante do partido que governa, ser falastrão, engendrar metáforas grosseiras, jamais ler sequer um livro e encontrar uma comunidade acadêmica disposta à bajulação e ao servilismo, para, desse modo, permanecer na mediocridade intelectual, mas ostentando um diploma de alto grau.

É essa UFPB, que vai conceder a Lula seu mais alto título, que acaba de ter boa parte do acervo de sua Biblioteca Central danificada por vazamentos e goteiras.

É essa UFPB que zela por seu patrimônio intelectual, conservado na Biblioteca Central, que vai consagrar a rudeza intelectual cultivada e assumida no alto dos muitos palanques. Afinal, para quê a UFPB precisa cuidar dos livros da Biblioteca Central, se ler livros não tem a menor importância?

Ainda não vi meus colegas se pronunciarem sobre esse lamentável incidente de equívoco acadêmico. Só espero que não apareça algum professor doutor falando contra as elites intelectuais e em democratização da universidade, para justificar a bajulação e o servilismo.

Antes que alguém tenha o trabalho de dizer: sou elite intelectual, sim. Sou Doutora em Letras, porque estudei muitos anos para isso.
Li e leio muitos livros e já publiquei alguns. Sou acadêmica e sou contra à deterioração dos valores acadêmicos.

Tenho zelo pelo diploma de doutorado que fiz por merecer, estudando, lendo, pesquisando e buscando formar outros intelectuais. Se ter cultura, formação universitária, inúmeras publicações (livros, artigos, trabalhos em congressos nacionais e internacionais, CDs de dados), ter lecionado na França e em mais de uma universidade brasileira, ter senso crítico, respeitar os valores universitários, é ser elite,  então sou elite e não gosto de ver a mediocridade intelectual pontificar com diploma de doutor.

Não é por Coimbra ter colocado no seio de seu egrégio colégio de doutores um sujeito que tem orgulho de nunca ter lido um livro, que vou aceitar que a UFPB vulgarize os títulos acadêmicos. Democracia na Universidade consiste em oportunidades iguais para todos que desejem crescer na Ciência, na Tecnologia, nas Humanidades.
Democracia na Universidade não é bajulação, cooptação e nem subserviência ao partido que está no poder.

Democracia na Universidade não implica baratear o diploma acadêmico de alto reconhecimento de mérito intelectual ou científico ou cultural, em troca de algumas verbas, que não passam de obrigação do governo federal.

Ser democrata na Universidade é ter senso crítico, ter opinião e defender a liberdade de opinião; é ter qualificação para o exercício profissional e intelectual na Universidade; é sentir-se honrado em ser portador dos diplomas conquistados com estudo e pesquisa.

Uma pergunta que não quer calar: onde está o sindicato dos professores - a ADUFPB?

Sônia Maria van Dijck Lima - doutora em Letras (USP, 1989) - aposentada - DLCV/CCHLA/UFPB - meu CV está na Plataforma Lattes
PS: Estejam livres para repassar o mais amplamente possível.

Não sei se o texto é verdadeiro, mas fiz uma pesquisa na rede mundial de computadores e com a inserção de "Lula" e "professor honoris causa", localizei quase 35.000 registros coincidentes.

Lula Doutor Honoris Causa por Coimbra, pela Universidade de Viçosa e outras, bem como ser ele palestrante, parece uma piada de muito mau gosto, mas que tem dado alguma repercussão positiva em favor dele e, certamente, justificado o alto padrão de vida que o ex-Presidente da República mantém, mormente quando seu sucesso é acompanhado de nomeação oficial para comandar missão diplomática.

Uma pessoa que não fala um idioma sequer (nem mesmo o do seu país natal), que afirma não ler e tem histórico de ócio preguiçoso,  não é o exemplo que desejo para os meus filhos. Por isso repúdio negociatas e falcatruas para promover um homem em desprestício de um título que exige muito estudo, esforço e abnegação.

2 comentários:

Luis disse...

Lula da Silva, Doutor Honoris Causa da Universidade de Coimbra, da Universidade Federal de Pernambuco, da Universidade Federal Rural de Pernambucoe e da Universidade Estadual de Pernambuco, não estudou em Faculdade. Lula, doutor honoris causa, criou 13 Universidades no Brasil:

13 - Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)
Lei nº 12.289/2010. Sede em Redenção, Estado do Ceará.
12 - Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)
Lei nº 12.189/2010. Sede em Foz do Iguaçu, Estado do Paraná.
11 - Universidade Federal da Integração da Amazônia Continental - UNIAM.
Lei nº 12.085/2009. Sede em Santarém, Estado do Pará, e Campi em Itaituba, Oriximiná, Óbidos e Tapajós.
10 - Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS).
Lei nº 12.029/2009. Sede em Chapecó, Estado de Santa Catarina, e campi em Cerro Largo - RS e Erechim-RS, em Realeza - PR e Laranjeiras do Sul - PR.
9- Universidade Federal do Pampa – UNIPAMPA
Lei nº 11.640/2008. Sede em Bagé, Estado do Rio Grande do Sul, e campi em Palmeira das Missões, Santana do Livramento, São Gabriel, Alegrete, São Borja, Uruguaiana , Caçapava do Sul, Jaraguão e Dom Pedrito – RS.
8- Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
Lei nº 11.173/2005. Sede em Diamantina, Estado de Minas Gerais,e Campi Santa Mônica, Umuarama, do Glória e do Pontal.
7 - Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) Lei nº 11.641/2008. Sede em Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul.
6 - Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA)
Lei Federal º 11.155/2005. Sede em Mossoró, Estado do Rio Grande do Norte, e Campi em Angicos e Caraúbas-RN.
5 - Universidade Federal de Alfenas – UNIFAL-MG.
Lei nº 11.154/2005. Sede em Alfenas, Estado de Minas Gerais.
04 - Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD
Lei nº 11.153/2005. Sede em Dourados, Estado de Mato Grosso do Sul.
03 - Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM
Lei nº 11.152, de 29 de julho de 2005. Sede em Uberaba, Estado de Minas Gerais.
2 - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB
Lei nº 11.151 de 29 de julho de 2005. Sede em Cruz das Almas, Estado do Bahia,campi em Amargosa, Cachoeira e Santo Antônio de Jesus-BA.
1 - Universidade Federal do ABC – UFABC.
Lei nº 11.145, de 26 de julho de 2005. Sede em Santo André, Estado de São Paulo.

Sidio Rosa de Mesquita Júnior disse...

REUNI, PRÓUNI, CRIAÇÃO DE 13 UNIVERSIDADES, TUDO ISSO É POUCO! Precisamos crescer! Sou professor perante uma universidade e vejo a carência de crescimento intelectual. O ensino, como dizia Nietzsche, empobreceu ao longo dos anos.